7 de junho de 2012

Leite de Rosas (Àquelas Duas)



Amavam-se em segredo
Havia menos amor que medo
Naqueles dois corações indefesos

Amavam-se entre olhares
Acenos de mãos
Palavras subliminares

Amavam-se entre cartas
Letras rabiscadas
Juras desesperadas

Amavam-se às escuras
Amor clandestino
Aos olhos do destino

Quando juntas
Uma na outra
Sem alma e sem roupa
O mundo era só um detalhe
Não havia quem as assustasse
Uma na outra
Sem disfarces

Uma na outra
Boca na boca
Seios
Anseios
Receios
Amor em flor
Leite de rosas

A Lua e a Terra
Velavam por elas
E sem mais aquela
Também se despiam

A Lua e a Terra
Uma na outra
Elas por Elas.

Anderson Lopes





11 comentários:

  1. Linda poesia! Vou seguir-te.. beijos.

    ResponderExcluir
  2. Porque amar não significa dizê-lo mas sim senti-lo em todos os pequenos gestos.
    Magnífica poesia!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. O mundo é,
    definitivamente,
    apenas um detalhe.

    ResponderExcluir
  4. QUalquer imensidão virá um pequeno cenário pra tal atuação do amor...

    Estou lhe seguindo meu amigo...Aguardo sua visita no meu blog !!

    http://aspirantesapoetasurbanos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. De tantos corações vestidos, você foi desnudar logo elas...

    #Belíssima escolha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quebrei os protocolos e te mandei um email... =O

      Excluir
  6. Tantos sentires partilhados
    Tanto amor desnudado
    No amor tudo é permitido
    quando 2 pessoas querem.
    Linda poesia.

    Beijos:)

    Obrigada pela visita no meu
    Abraço:)

    ResponderExcluir
  7. Poetizando
    o desabrochar
    das flores.

    - Encantador.

    ResponderExcluir
  8. Detesto te cobrar atualizações, por que sei que nascem de fraturas expostas da sensibilidade...

    #Vou ficar com os históricos xP

    ResponderExcluir