4 de abril de 2012

Um Blues

Eu queria ter toda a força que aparento
Toda a garra que aos outros faço supor
Mas quando a porta se fecha
E a luz se apaga
A fortaleza desaba
E o menino indefeso assume o papel

Deitado no chão do meu quarto
Meus olhos são dois vulcões acordados
Derramando larvas sobre o meu rosto
Deixando suas cicatrizes
Como varizes que vão dos meus olhos até o chão...


Anderson Lopes

2 comentários: